Divagações e devaneios sobre as arianisses da vida!!!

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Tempos difíceis!

A dificuldade de abandonar o girassol é que cultivei ele por muito tempo, com muito amor, mais do que eu poderia amar a mim mesma, mas em certo momento caiu a ficha: não era meu! Era do mundo, de todo o mundo, mas não meu. Isso não é algo negativo, mas é dolorido quando o que você mais quer é tão livre que não pode e nunca vai ser seu. O processo todo foi difícil, sofrido, pesado, então chegou uma hora eu entendi "não é pra ser, não vai ser".
Poderia dizer que to na fase do cravo, que é ainda mais sofrida porque é um processo que passa constantemente pela decepção, desilusão, desamor e, claro, a dor.
Felizmente a fase com o girassol foi de aprendizado e me fez perceber que a fase do cravo dói, mas é passageira, tudo passa, coisas boas e ruins. Acho que a diferença é que agora consigo levar as coisas com menos peso, com um pouco mais de sabedoria, mas não com menos amor.
Só queria saber do girassol: onde foi que eu errei? Em qual parte o meu amor não foi suficiente para que me quisesse na sua vida? Quando eu deixei passar que jamais seria MINHA?
Bem, esse é o objetivo de hoje, te fazer essas perguntas e espero que consigamos conversar num tom amigável para que o próximo post seja menos lamento e mais amor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário