Divagações e devaneios sobre as arianisses da vida!!!

sábado, 9 de abril de 2016

Fazer o que né?!

Até parece que está tudo bem! Então controle-se Ariana!!!

quarta-feira, 6 de abril de 2016

terça-feira, 5 de abril de 2016

A culpa!

Quando relacionamentos acabam o que sobra é culpa. Obviamente estou falando dos meus relacionamentos. O pior de tudo é que quando eu tenho certeza que a culpa não é minha, as pessoas me jogam a culpa. 
Por exemplo, uma vez tive um relacionamento com uma pessoa completamente descompensada. A pessoa era ciumenta, manipuladora, chantagista emocional e muitas vezes violenta. Quando eu resolvi terminar a pessoa me acusou de acabar com nosso futuro juntas (estávamos planejando casar e ter filhos), mas como manter um relacionamento tendo medo da sua companheira???
Teve aquela vez também que, aparentemente, eu estava me relacionando com uma pessoa que estava pouco se fodendo pra mim, juro! A mina era linda: feminista (só depois descobri que era rad), negra, inteligente e tals. Mas me tratava com indiferença constantemente, principalmente em público, aí resolvi terminar. Foi uma relação que não durou dois meses, mas o término gerou muitíssimas declarações amorosas por parte dela no meu email, facebook, etc. Só pararam quando eu disse "ok, chega, não vai rolar!", mas pra ela isso não foi a gota d´água. O problema pra ela foi eu ter iniciado uma nova relação que deu certo, aí a bichinha começou me acusar de ter sido abusiva, ter fetichizado ela (eu nem sei o significado exato disso) e creditava tudo isso ao fato de eu ser mais velha que ela.
Ah, teve aquela vez que a mina me traía com todo mundo, mas não queria uma relação aberta comigo e, aquela também onde eu era a outra e só eu não sabia.
O fato é que todas, sem exceção, jogaram a culpa em mim pelo término. Mas não é só isso, elas jogaram tanto a culpa em mim que eu acabei acreditando nela e em algumas ocasiões até pedindo desculpas de uma culpa que não deveria existir. E não deveria existir porque relacionamentos acabam mesmo, por N motivos, nem tudo na vida acontece como queremos ou planejamos e isso é regra!!! E pra cagar em tudo de vez essa culpa foi sendo carregada e reflete nas minhas relações ainda, tipo: um cagaço de falar algo que vá ser mal interpretado; um medo horrendo de terminar (somente porque pra você não serve mais) e ser apontada como insensível e egoísta; ou simplesmente se magoar para não magoar a outra pessoa.
E é isso, esse texto não tem um fim, ou uma lição de moral, é só desabafo mesmo como todos os outros desse blog.    

Uma carta para ela!

Amora, eu vou escrever aqui coisas que eu gostaria de ter falado pessoalmente, mas não consegui, pelo nervoso, pelo estresse, pelo medo e pelo ódio. Sim, pelo ódio!
Não é ódio de você, ou de uma pessoa específica ou de algo palpável. É um ódio que não sei explicar de onde vem, é um ódio de tudo e todos. Não é quantificável e, até o momento, não é explicável.
Mas só estou falando sobre esse ódio porque ele fica guardado dentro de mim e quando ele quer escapar eu tento segurar, mas tem vezes que ele simplesmente sai pela minha boca como uma explosão repentina.
Eu não sei desde quando ele está ali, mas eu sei que está. E estou falando sobre ele pra te dizer que faz parte da minha experiência como ser humano. Uma experiência inacabada e de luta constante contra eu mesma, nunca contra outra pessoa.
Algumas questões afloram mais esse ódio, como minhas péssimas experiências com pessoas emocional e psicologicamente instáveis. Na verdade, nunca tive paciência com esse tipo de instabilidade porque eu prefiro o racional, sempre! Só que de uns tempos pra cá eu resolvi que ia passar por cima disso e ser uma pessoa melhor. Ok, três relacionamentos depois (e isso não inclui você) e eu já não quero ser uma pessoa melhor, só quero ter paz! E, por mais que isso seja extremamente egoísta não é algo que eu consiga passar por cima, minha paz pessoal, minha tranquilidade emocional está acima de tudo.
Você pode achar que estou escrevendo porque não quero perder a namorada ou a companheira, mas não é isso. Estou escrevendo SÓ, e somente SÓ, porque eu sinto que em uma dessas minhas explosões magoei uma pessoa legal, que passou por tantas ou mais coisas do que eu e que sempre me acolheu da maneira mais carinhosa que conheço. Essa carta é uma tentativa de recuperar seu respeito e amizade, mesmo porque eu acho que o namoro já está todo cagado (e a cagona mór fui eu!), e eu não faço isso com frequência, geralmente toco o foda-se mesmo. É um foda-se carregado de culpa, mas mantenho a posição como boa escorpiana que sou.
Eu escreveria aqui mais um monte de coisas, pra você não pensar isso ou aquilo por coisas que você conhece sobre minhas relações anteriores, mas não faria diferença. Sou da opinião que se desculpar demais é assinar um atestado de culpa e eu sei o que passei antes de você chegar na minha vida.
Ainda assim, você merece um pedido de desculpas por todas as merdas que eu fiz e disse. Então, DESCULPAS!


***Essa carta não vai ser enviada, não vai chegar a sua destinatária, porque ela é só um desabafo de uma situação real e dolorida que estou vivendo no momento.